Google+ Followers

segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

A RELIGIÃO E AS FILOSOFIAS ANTICRISTÃS (Parte 2)



A RELIGIÃO E AS FILOSOFIAS ANTICRISTÃS 

(2ª parte)




Terça, 12/04/2011 
                                                                                       Por Antônio Gilberto


17- Idealismo: É a crença filosófica que a matéria inexiste; isto é, de que aquilo que estamos a ver, julgando que é matéria, é apenas uma ilusão da mente. Por sua vez, o realismo é o erro inverso do idealismo. Para o realismo, tudo o que a mente perscruta são realidades de fato.


18- Liberalismo (teológico): É um falso sistema de crença que afirma que a Bíblia é falível, que o sobrenatural não existe, que não há Inferno nem Céu literais; que o nosso futuro é todo incerto e que ninguém sabe nada do que acontecerá após a morte. Teólogos e pastores liberalistas interpretam a Bíblia como eles querem, submetendo-a ao seu modo próprio de pensar. Eles não crêem no nascimento virginal de Jesus, nem na sua ressurreição literal e muito menos no Retorno literal de Jesus, como a Bíblia ensina. O liberalismo apregoa que o homem em si mesmo é bom, Deus é o pai universal de todos e que, por criação, todos somos filhos de Deus e, portanto, nossa felicidade está garantida no céu. Liberalismo e modernismo religioso andam de mãos dadas.


19- Materialismo: Como princípio filosófico-religioso, o materialismo ensina que a única realidade existente é a matéria, e nada mais. Ele nega a existência da alma do homem e, de igual modo, a existência de Deus. Ele ensina que o homem e a mulher são apenas animais de uma escala superior e nada mais. Ora, isso exime o homem de qualquer responsabilidade moral em relação aos seus atos, e é isso o que eles querem: viver exclusivamente para os prazeres da carne, praticar nudismo livremente, eliminar de vez o casamento etc. O materialismo ensina que os processos e fenômenos físicos e mentais do organismo humano são apenas movimentos e funções da matéria. Por exemplo, o pensamento é apenas secreção da matéria, assim como a bílis é secreção do fígado. Noutras palavras, o materialismo é a deificação da matéria. Como filosofia de vida, o princípio do materialismo está adentrando camufladamente nas igrejas com o pomposo título de “Evangelho da Saúde e Prosperidade”.


20- Ocultismo: Abrange inúmeras formas de espiritismo disfarçado para mais facilmente enganar os incautos. Os ocultistas usam muitos termos para se disfarçarem, tais como místico, misticismo, esoterismo, cabalismo, espiritualismo, rosacrucianismo, aura, emanação, “meditação” e “concentração” (nas chamadas artes marciais, que também estão ligadas ao ocultismo budista), premonição, mediunidade, xamanismo (mediunidade), canal (médium), astral, parapsicologia, paranormalogia, fenômenos paranormais, magia, neurolingüística (aprendizagem subliminar ocultista), bioritmo (gráfico das potencialidades cíclicas humanas para fins de auto-prevenção), cromoterapia, psicografia, acupuntura, terapia floral (floral de Bach) etc.


21- Monoteísmo: 
É a crença (verdadeira) de que existe apenas um Deus único e verdadeiro, que criou o universo, mas que também ordena e sustenta todas as coisas “pela Palavra do seu poder”. A religião primeva era monoteísta (Rm 1.19-21).


22- Naturalismo: 
É a ideia filosófica de que tudo o que existe é explicado em termos mecânicos, materiais, naturais, físicos. A mente humana é simplesmente um mecanismo químico-elétrico. O naturalismo nega a realidade do imaterial, do espiritual, do sobrenatural e do invisível; portanto, nega a existência do espírito humano, a existência de Deus e a imortalidade da alma. O naturalismo “só crê na razão; ele nega o transcendente. É ateísta”.


23- Panteísmo: É o erro filosófico-religioso que consiste em confundir o Criador com a criação; isto é, confundir Deus com a natureza que Ele criou. O panteísmo ensina que Deus e o universo formam um todo; isto é, Deus é tudo e tudo é Deus. O panteísmo nega a transcendência de Deus.


24- Politeísmo: É a falsa crença em muitos deuses e deidades. É uma distorção do monoteísmo bíblico: um Deus único e verdadeiro. Esses deuses do politeísmo podem ser seres vivos ou personificação de elementos da natureza, como astros, fertilidade, amor, fogo, água etc. O politeísmo é resultado da apostasia do homem (Rm 1.21). Ele contraria diretamente o que Deus diz em Êxodo 20.3: “Não terás outros deuses diante de mim”. Religiões politeístas: hinduísmo, budismo, taoísmo, xintoísmo etc. 


25- Positivismo: O positivismo filosófico ensina que tudo o que podemos conhecer é aquilo que os nossos sentidos podem perceber. Em outras palavras, todo conhecimento que podemos adquirir é feito através da experiência, mediante nossos sentidos físicos. O positivismo rejeita o conhecimento obtido mediante a razão, a intuição, a espiritualidade, a revelação divina, a inspiração, a iluminação e a direção divinas. Ele limita o conhecimento às ciências empíricas, como a matemática e outras afins. É chamado de positivismo porque limita-se ao conhecimento que é provado, comprovado, demonstrado fisicamente. O positivismo é uma forma de materialismo.


26- Realismo: É a crença de que a verdadeira realidade de Deus (ou de qualquer realidade última) é desconhecida e impossível de ser conhecida. O realismo deixa em dúvida a verdade plena da natureza de Deus. Robert Spencer foi o advogado dessa ideia maldita.

27- Teísmo: Um termo religioso-filosófico referente à nossa fé na existência de Deus, e não apenas a isso, mas também ao fato de que Ele criou o mundo e também o sustenta e rege. Todo verdadeiro crente é teísta, mas nem todo teísta é um verdadeiro crente. O teísmo também sustenta que Deus é imanente em relação ao universo e a tudo o que nele há, mas isso sem jamais confundir o Criador com a criação e a criatura.


28- Teologia da liberação: 
Abrange um grupo de movimentos teológicos, como:

a) Movimento de liberação dos povos do terceiro mundo: Este movimento ensina que se o povo tiver (1) emprego (o social), (2) subsistência (o econômico), (3) casa e (4) educação, com facilidade se chegará a Deus. 

b) Movimento de liberação feminina (movimento feminista): Um movimento destinado a desestabilizar as leis determinadas por Deus para reger a família e a sociedade.

c) Movimento de liberação dos povos de raça negra: Em nome do combate ao racismo, os adeptos da teologia da liberação apelam para a revolução, a subversão da ordem, para a violência, para obterem essa liberação.

Fonte: 
http://www.cpadnews.com.br/blog/antoniogilberto/fe-e-razao/6/a-religiao-e-as-filosofias-anticristas-(2%C2%AA-parte).html

Nenhum comentário:

Postar um comentário