Google+ Followers

terça-feira, 8 de agosto de 2017





Em Mateus 8:23-27, Marcos 4:35-41 e Lucas 8:22-25, temos o relato da mesma história: o Senhor acalmando uma tempestade. Esses textos das escrituras têm em comum as circunstâncias em que o fato aconteceu e a reação dos discípulos de ir até o Senhor; todavia, há pequenas diferenças no que o Senhor respondeu em cada um desses livros. Tais diferenças entre os escritos trazem para nós uma importante lição sobre a fé.

Em Mateus, os discípulos dizem para o Senhor: “Perecemos!” (v. 25), então Ele responde: “Por que sois tímidos, homens de pequena fé?” (v. 26).

Em Marcos, os discípulos dizem para o Senhor: “Mestre, não te importa que pereçamos?” (v. 38), então, depois de acalmar a tempestade, a resposta é: “Por que sois assim tímidos?! Como é que não tendes fé?” (v. 40).

Em Lucas, os discípulos dizem para o Senhor: “Estamos perecendo!” (v. 24), então Ele responde, depois de acalmar a tempestade: “Onde está a vossa fé?” (v. 25).

Tendo em vista que esses textos bíblicos correspondem à mesma história, pode-se, então, dizer que a verdade transmitida através deles é a mesma. Portanto, podemos aplicar cumulativamente essas diferentes palavras para nossa vida, as quais representam verdadeiras lições sobre a fé, a respeito do que vamos tratar adiante.

As Tempestades

Quando as tempestades vêm, nossa fé pode ser provada da melhor maneira. É que o vento e o mar, que atuam juntos para balançar nosso barco, evidenciam uma cena de batalha espiritual. Isso porque os ventos e o mar representam, respectivamente:

  • os principados e potestades, que têm seu lugar de habitação nos céus (Ef 6:12);

  • e os demônios, que têm seu lugar de habitação nas grandes massas de água (Mc 5:13).

Assim, para nossa luta espiritual é preciso que tenhamos o Senhor no nosso barco (nossa vida), mas também é preciso aprender a utilizar a nossa fé adequadamente para vencer as forças espirituais que operam para nos impedir de fazer algo por Deus.

Onde está a vossa fé?

Nossa fé deve ser totalmente baseada na palavra. Assim que Deus fala, tomamos aquilo por certo e induvidável, já que Deus não é homem para que minta (Nm 23:19). Portanto, Deus é o lugar onde nossa fé é colocada. Saiba: não é em nós mesmos que devemos ter fé, mas sim em Deus e no Seu poder; afinal nossa suficiência vem de Deus e sem Ele nada podemos fazer (2 Co 3:5).

Sempre que acharmos que a fé está em nós, na nossa capacidade humana limitada, seremos considerados homens de pequena fé, ou de fé insuficiente, ou até mesmo sem fé. Na verdade, é pelo fato de nossa fé estar em Deus, que a temos na exata medida para crer em tudo o que Ele determinou para nossa vida e, assim, vencer nos ambientes espirituais.

A fonte e base sobre a qual nossa fé está assentada é em Deus e não em nós mesmos. Não cremos porque queremos, mas cremos porque Deus tem atributos que o torna confiável e digno de nossa fé.

Como é que não tendes fé?


O motivo para estarmos perecendo e acharmos que o Senhor não se importa com isso é que não temos fé suficiente Nele. Se conhecêssemos Deus a fundo saberíamos que Ele cuidaria de nós, não importando a situação ou a condição, afinal, se Ele cuida dos lírios dos campos, muito mais de nós (Mt 6:30).

A falta de conhecimento de Deus gera uma carência de fé em nós. Tornamo-nos homens sem fé, aos quais o próprio Senhor pergunta: “Não tendes fé?”. Precisamos conhecer e prosseguir em conhecê-Lo para que nossa fé aumente e possamos cada vez mais praticar sua palavra.

Por que sois tímidos, homens de pequena fé?

Pelo fato de nossa fé não estar adequada, somos colocados numa posição de falta de expressão da autoridade de Deus. Quando o Senhor falou para os discípulos “Por que sois tímidos, homens de pequena fé?”, indiretamente o Senhor quis dizer que os próprios discípulos deveriam ter lidado com a situação subjugando as forças malignas que estavam em ação. A timidez aqui se refere ao fato dos discípulos não terem tomado uma atitude na situação com base na palavra de Deus.

Em outras versões bíblicas, timidez também é traduzido como covardia. Somos covardes quando em uma situação que nós mesmos podemos lidar, procuramos autoridades superiores a nós, por estarmos com medo. Hoje, em nossa vida cristã, não podemos ser covardes. Esse não foi o Espírito que Deus nos concedeu. Nosso Espírito é de poder, de amor, de moderação (2 Tm 1:7); portanto, com base nesse Espírito poderoso, dado para permitir que realizemos coisas, tomamos a autoridade de Deus e a exercemos contra os ataques do inimigo na batalha espiritual. Além disso, o povo que conhece ao seu Deus se torna forte e ativo (Dn 11:32).

Ter uma fé pequena ou ter pouca fé significa ter um Deus pequeno, ou seja, um Deus que desconhecemos e que supre pouco para nós. Essa não é a verdade. Nosso Deus é tudo o que precisamos, Ele mesmo se apresenta como o “EU SOU” (Ex 3:14). Não podemos achar que Ele é limitado, porque Ele não é. Ele é o Deus capaz de tudo, acredite: Ele faz o impossível! (Mc 10:27).

Diariamente, coisas impossíveis estão acontecendo em nossas vidas, mas não conseguimos ver. Nossa visão é limitada. Nossa mente também não consegue entender isso. Tão pouco nossos sentimentos são capazes de retratar a realidade da fé. Nem mesmo as nossas vontades, esperanças e desejos conseguem representar a fé adequadamente. É preciso todo esse conjunto para realmente termos fé. Todo esse conjunto é como se fosse os instrumentos de uma banda. Ao tocar juntos podemos realmente ver o resultado: a música. Quando todas as partes do nosso ser são exercitadas juntas com o coração para crer em Deus, os vários instrumentos da banda começam a tocar a música. Essa música é a fé.

Quer aprender a usar a fé adequadamente? Sim? Então, saiba: é com o coração que se crê (At 8:37, Rm 10:10), o qual reúne nossos pensamentos, sentimentos e decisões sob a direção do espírito humano. É aí que a banda se reúne e a mais linda das canções pode ser tocada. Use o seu coração, creia e se maravilhe com o som que será produzido; é capaz até mesmo que Deus reconheça esse fato e lhe diga: “Tem bom ânimo, filho, a tua fé te salvou! Vai em paz” (Lc 8:48).

Fonte: https://estiloadoracao.com/orar-de-madrugada-e-melhor-a-oracao-e-mais-forte/

Nenhum comentário:

Postar um comentário