Google+ Followers

sábado, 21 de maio de 2016

A NOVA ALIANÇA EM CRISTO



Assembleia de Deus
Ministério Estudando a Palavra

Departamento de Escola Bíblica Dominical

22 de maio de 2015

Lição 8


A NOVA ALIANÇA EM CRISTO

Leitura bíblica em classe: Hebreus 8.6-13
Texto Áureo: Hebreus 7.19


Introdução: A Antiga Aliança implicava mandamentos, estatutos e juízos, os quais não foram observados pelo povo escolhido. Era um concerto transitório, como indica o escritor: “Porque se aquele primeiro fora irrepreensível, nunca se teria buscado lugar para o segundo” (Hb 8.7). Diante disso, Jesus trouxe uma Nova Aliança, que se estabeleceu, não em atos exteriores, rituais, mas no interior do homem, no entendimento e no coração. Por isso, é um melhor concerto. Que o Senhor nos faça entender esse tema, e que o valorizemos em nossa vida cristã!

 Objetivos
Ao término do estudo bíblico, o aluno deverá ser capaz de

Descrever a importância e o significado da Nova Aliança firmada com o sangue de Cristo;
Compreender que Lei e Graça são encontradas tanto no Antigo quanto no Novo Testamento;
Saber que, na Nova Aliança, Deus transforma a Lei externa em vida interior, mediante a ação do Espírito Santo.

I – LEI E GRAÇA

1- Conceito de Lei no contexto bíblicoA Lei Mosaica é composta de todo o código de leis formado por 613 disposições, ordens e proibições. Em hebraico a Lei é chamada de Torá, que pode significar lei como também instrução ou doutrina. O conteúdo da Torá são os cinco livros de Moisés, mas o termo Torá é aplicado igualmente ao Antigo Testamento como um todo.
       
Os mandamentos (Mitzvot), se apresentam em três palavras:

1 – Juízos (Mishpatim) – Mandamentos claros, comumente relacionado à vida em comunidade (Ex: “Não furtarás”; “Não matarás”). O cumprimento do mandamento não está apenas em fazê-lo ou não, sim também no castigo ou sentença do não cumprimento.

2 – Estatutos ou decretos (Chukim) – Mandamentos não claros, geralmente não se sabe o porquê não cumprir. (Ex:”Não cozinhar carne no leite da mãe”). Porque obedecer? Porque sim!

3 – Testemunhos (Edot) – Mandamentos relacionados ao testemunho de algum fato ocorrido. (Ex: Festa da Páscoa; Festa de Purim).
Jesus cita os Juízos em seu Sermão que estão relacionados a vida em comunidade.

2- Conceito de Graça no contexto bíblico. A palavra graça vem do termo latino gratia, que, por sua vez, deriva-se do substantivo grego charis, cujo significado é favor imerecido, benevolência ou favor para alguém que não mereça. É nas cartas onde o conceito de graça vem desenvolvido em forma eloquente (1Co 15.10; Ef 3.7; 1Pe 4.10).

II – A LEI E A GRAÇA NO ANTIGO E NO NOVO TESTAMENTO

        

A Lei (Torah) cumpriu o dever de ensinar Israel como ser e agir em relação a Deus, à Criação e ao próximo. A Graça, por sua vez, revela como Deus age em relação ao homem, assim resignificando o ser e relação do homem para com a vida.

1- A Graça no Antigo Testamento. O Antigo Testamento é considerado por muitos teóricos o grande tratado da Lei de Deus, entretanto, as Escrituras revelam a manifestação da graça divina desde o início dos tempos.

·       A Criação. Máxima expressão da graça divina no AT;

·  O agir de Deus para com os homens. Deus abençoou de maneira grandiosa os personagens bíblicos, e eles não tinham mérito;

·      Os pecados de Davi. Deus manteve sua promessa a Davi mesmo depois de seu pecado (2Sm 7.11,12; Mt 1.1)

3- A Lei no Novo Testamento.    O Novo Testamento é considerado, de forma geral, como o grande tratado da graça de Deus. Na Nova Aliança a Lei de Deus foi resumida por Jesus nos seguintes mandamentos: amar a Deus sobre todas as coisas com a plenitude do ser e amar ao próximo como a si mesmo. (Mc 12.30,31; Rm 13.8-10)

III – A NOVA ALIANÇA.
        

Nos tópicos anteriores tratamos sobre o significado da Lei e da Graça no Antigo Testamento e no Novo. Agora veremos a importância, o significado e superioridade da Nova Aliança em relação a Antiga ou Primeira.


 

1 - Uma comparação entre as duas Alianças

1. Deus fez a primeira aliança (Deuteronômio 5:2).
1. Deus também fez a nova aliança (Jeremias 31:31a).
2. Ela entrou em vigor quando Israel saiu do Egito. O Senhor fez aliança com os filhos de Israel, ao saírem da terra do Egito (1 Reis 8:9b).
2. Ela entrou em vigor quando Jesus morreu na cruz (Hebreus 9:16, 17a).
3. Moisés foi o mediador (Deuteronômio 5:5a).
3. Jesus é o Mediador (Hebreus 12:22-24a).
4. A primeira foi consagrada com o sangue de animais.  (Êxodo 24:8).
4. A segunda foi consagrada com o sangue de Jesus.  (Mateus 26:27, 28a).
5. A primeira foi feita com Israel (1 Reis 8:9).
5. A segunda é para todas as pessoas (Marcos 16:15).
6. O requisito para Israel era que guardasse os mandamentos da Lei. (Deuteronômio 4:13, 14).
6. Os requisitos para todas as pessoas só os mandamentos de Jesus.  (Mateus 28:19, 20a).
7. As bênçãos por obedecerem eram vida longa com prosperidade na terra de Israel. (Deuteronômio 5:33).
7. As bênçãos por obedecerem são o cuidado de Deus nesta vida e na vida vindoura, vida eterna nos céus. (1 Pedro 1:3, 4).
8. O castigo por desobedecerem eram aflições temporais e finalmente a expulsão da terra para o cativeiro. (Levítico 26:14-33).
8. O castigo por desobedecerem é o sofrimento eterno no inferno. (Apocalipse 14:11a; Mateus 25:46a).
9. Os que se incluíam nela eram os filhos de Israel (1 Reis 8:9). Eram os descendentes de Jacó cujo nome foi mudado para Israel (Gênesis 32:38a).
9. Os que se incluem nela são os filhos de Deus.  (Romanos 8:16b, 17).
10. Os participantes tornavam-se filhos por um nascimento físico. Paulo mencionou aqueles que eram “meus compatriotas, segundo a carne... são israelitas” (Romanos 9:3b, 4a).
10. Os participantes são filhos por um nascimento espiritual.  (Romanos 9:8; João 1:13; Gálatas 3:26, 27).
11. A circuncisão era o sinal e o selo da filiação. (Gênesis 17:11).
11. O dom do Espirito Santo é o selo. (2 Coríntios 1:21, 22; Efésios 1:13b, 14a; Gálatas 4:6).
12. A primeira consistia numa administração de morte e condenação. (2 Coríntios 3:7-9a).
12. A segunda consistiu numa administração da justiça e do Espírito. (2 Coríntios 3:8, 9).



2 – A Superioridade da Nova Aliança

Na ação contra a pecaminosidade do homem

1. Maldições (Gálatas 3:10)
1. Bênçãos (Gálatas 3:13, 14)
2. Sem misericórdia (Hebreus 10:28)
2. Misericórdia (Hebreus 8:12)
3. Condenação (2 Coríntios 3:9; Gálatas 2:21)
3. Justiça (2 Coríntios 5:21); nenhuma condenação (Romanos 8:1)
4. Morte (2 Coríntios 3:7; Romanos 8:2b)
4. Vida (Romanos 8:2a)
5.Sacrifício ineficaz (Hebreus 10:4, 11)
5. Sacrifício eficaz (Mateus 26:28)
6. Desejos pecaminosos estimulados (Romanos 7:5, 8)
6. Ajuda para vencermos os desejos pecaminosos (Gálatas 5:16)
7. Fraqueza da carne (Romanos 8:3); inútil (Hebreus 7:18)
7. Força através do Espírito (Efésios 3:16)
8. Ira (Romanos 4:15)
8. Reconciliação (Colossenses 1:22)
9. A letra que mata (Romanos 7:6; 2 Coríntios 3:6)
9. O Espírito que dá vida (Romanos 7:6; 2 Coríntios 3:6)
10. Imperfeição (Hebreus 8:7)
10. Perfeita lei da liberdade (Tiago 1:25)
        
A lei só destacava a pecaminosidade do homem, mas não apresentava uma solução para sua luta contra o pecado. Era necessário um novo acordo.  A lista abaixo mostra o que a primeira aliança não podia fazer e o que a nova, em contraste, pode fazer (Rm 8.3):



A Antiga Aliança não podia:

1. Justificar (Romanos 3:20; Gálatas 2:16; 3:11, 12);
2. Fazer herdeiros (Romanos 4:14);
3. Manifestar justiça (Gálatas 2:21);
4. Abençoar (Gálatas 3:10);
5. Conceder a herança (Gálatas 3:18);
6. Dar vida (Gálatas 3:21);
7. Salvar (Romanos 10:1);
8. Aperfeiçoar (Hebreus 7:19);
9. Perdoar pecados (Hebreus 10:4);

A Nova Aliança pôde:

1. Justificar (Romanos 5:1);
2. Fazer herdeiros (Romanos 8:17; Gálatas 4:7);
3. Manifestar justiça (Romanos 3:21, 22);
4. Abençoar (Efésios 1:3);
5. Conceder a herança (Gálatas 3:29);
6. Dar vida (1 João 5:11);
7. Salvar (Atos 4:12; Hebreus 7:25);
8. Aperfeiçoar (Hebreus 10:14);
9. Perdoar pecados (Mateus 26:28);
        
A primeira aliança – com suas leis, ordenanças e mandamentos – não podia oferecer o que Jesus nos trouxe (Hb 8.7).

 

A nova aliança é diferente da antiga aliança e superior a ela. Foi estabelecida com base em:

·        Promessas superiores (Hebreus 8:6);
·        Um Legislador superior (Hebreus 3:3);
·        Um Mediador superior (Hebreus 12:24);
·        Uma esperança superior (Hebreus 7:19);
·        Um sacerdócio superior (Hebreus 7:21-24);
·        Um sacrifício superior (Hebreus 9:23);
·        Um patrimônio superior (Hebreus 10:34; 11:16);
·        Uma herança superior (1 Pedro 1:3, 4).


Conclusão: - Sob a aliança antiga, que prometeu o povo fazer? A Bíblia diz em Êxodo 24:3 “Veio, pois, Moisés e relatou ao povo todas as palavras do Senhor e todos os estatutos; então todo o povo respondeu a uma voz: Tudo o que o Senhor tem falado faremos.  



"Sob a Nova Aliança, que promete Deus fazer? A Bíblia diz em Hebreus 8:10 “Ora, este é o pacto que farei com a casa de Israel, depois daqueles dias, diz o Senhor; porei as minhas leis no seu entendimento, e em seu coração as escreverei; eu serei o seu Deus, e eles serão o meu povo. ”


                                                         Lição Elaborada pelo Prof.
                                                                       J. Fábio
                                                                  Para a ADMEP


                                                     Que Deus nos abençoe!

Venha A Escola Dominical, É uma Benção Ser Aluno da Escola Dominical!

3 comentários:

  1. Foi uma benção.... o professor J. Fábio estava inspirado
    como sempre, ele ama a Palavra de Deus.... e Por isso está sempre inspirado.
    Obrigada J. Fábio.

    ResponderExcluir
  2. Maravilhoso me fortaleci mais qdo fui estudar a lição 9 não envo n treinamento comentário e não sei como estudo

    ResponderExcluir
  3. Maravilhoso me fortaleci mais qdo fui estudar a lição 9 não envo n treinamento comentário e não sei como estudo

    ResponderExcluir