Google+ Followers

quinta-feira, 30 de julho de 2015

FAZ OU NÃO A DIFERENÇA?



Faz ou Não a DIFERENÇA?

Ser Bonito ou Feio?


 







Ser Bonito ou Feio?

O Bonito atrai, agrada e conquista.




O feio, nem sempre será aceito, ou conquistará muitos corações.
Na velhice, as rugas, as dores, o corpo flácido, o caminho da morte tomará conta igualmente dos dois. A beleza é efêmera. E no leito de morte frio e sombrio, o encontro com os bichos que o corpo há de comer, não fará diferença entre o bonito e o feio.



Ser Rico ou Pobre?





A mesa farta, a bonita e boa casa, caras roupas, carros, viagens, bons estudos, amigos e gente bonita ao lado, a conquista de tudo o que o dinheiro pode comprar.





Casa modesta, às vezes um casebre, comida simples, na medida, regrada ou em falta, vestes simples, sem luxo, para muitos apenas uma peça no corpo e outra no varal, para alguns falta de futuro, pouco estudo ou nenhum.


 


O túmulo aguarda os dois. Um no mausoléu dos belos jardins do rico cemitério. O outro, na cova rasa do cemitério municipal.

Contudo, no leito de morte frio e sombrio, o encontro com os bichos que o corpo há de comer, não fará diferença entre seus túmulos, caixões, suas vestes ou poderes.




Crer ou Não em Deus?




Vida sem Deus, guiada por minha vontade, em busca de desejos, vícios e alegrias. Negar Deus que não vejo, não escuto, não sinto. Deus dos pobres, sem instrução, fanáticos e lunáticos. Vida que explode dentro de mim, para ser sentida, vivida em toda intensidade. Festas, orgias, bebidas, sexo e tudo que pode me causar alegria. Ou, até mesmo vida a ser vivida de forma pacata, ajuizada, mas sem Deus. Porque preciso de alguém para me controlar? Porque me submeter a este alguém que nem creio existir? Nego Deus com toda intensidade da minha alma. E também a Vida a ser vivida crendo que Ele existe, mas sem lhe dar o controle de tudo, declarando Sua existência com a boca, mas negando-O com o meu viver.

 


Vida com Deus, guiada por Sua Santa, Boa, Perfeita e Agradável Vontade, em busca do divino e da alegria do Espírito. Testemunhar de um Deus que não vejo, mas escuto e sinto na minha alma. Deus dos pobres de espírito, dos humildes de coração, dos loucos para mundo, mas sábio para com Deus. Vida que explode dentro de mim, para ser sentida, vivida em toda intensidade. A vida de Deus em mim na pessoa de Cristo, seu Filho amado. Vida de pecador arrependido, que se prostra diante do grande Senhor. Porque preciso de alguém para me controlar? Por que Ele é o próprio Deus, dono e criador de tudo, Senhor meu. Ele, o Deus Todo-Poderoso existe, e eu O declaro com o meu viver.

Independente de nossas escolhas e crenças na vida o fim chegará, e no leito de morte frio e sombrio, o encontro com os bichos que o corpo há de comer, não existirá diferença se curtimos a vida com vícios e pecados, ou se nos santificamos em Cristo.

Assim, caminhamos nessa vida, ricos e pobres, feios e bonitos, crentes em Deus e descrentes. A terra que nos espera em nosso último leito não fará distinção entre nenhum de nós.




Porém, quando o nosso espírito se encontrar com o Todo-Poderoso Deus, o ser rico ou pobre, bonito ou feio, não nos desqualificará para a eternidade com Ele. Mas, para aquele que O negou aqui nessa vida, o Pai Celeste também o negará e o lançará nas trevas, onde o bicho nunca mais o deixará de comer.


 




Faz ou Não a DIFERENÇA?
(Liliana Viana – 29/7/2015)

Fonte:  E-mail da amiga: 

liliana viana de sousa

Nenhum comentário:

Postar um comentário