Google+ Followers

sexta-feira, 18 de setembro de 2015

LÉA MENDONÇA - COVARDIA





COVARDIA

Léa Mendonça

  

No teu nome eu curei

No teu nome vidas restaurei

No teu nome muitos filhos

Como o pródigo arrependido

Devolvi às suas mãos


Transformei noites sombrias

Em alegres e doces manhãs

Em teu nome transportei

Das trevas pro teu reino multidões


Quem estava em guerra era eu

Saqueando o inferno com o meu louvor a Deus

Enquanto eu adorava, o inimigo, covardemente

Acertou um dos meus


Quem estava em guerra era eu

Saqueando o inferno com o meu louvor a Deus

Enquanto eu adorava, o inimigo, covardemente

Acertou um dos meus


Mas eu não me dei por vencido

Não pensei em pedir trégua nem paz

Não baixei a minha guarda, estava decidido

Levantar bandeira branca, jamais


Não me rendo, não me entrego

Não me quebro, não desisto

Continuo a serviço do Rei

Não é chorando pelos cantos

Mas é de cabeça erguida

Que aguardo a providência de Deus


Ai daquele que tocar nos bens de um ungido

Melhor seria ele não ter nascido

Agora quem vai fundo nessa guerra fria

Pra acabar de vez com essa covardia é Deus


Quem estava em guerra era eu

Saqueando o inferno com o meu louvor a Deus

Enquanto eu adorava, o inimigo, covardemente

Acertou um dos meus


Quem estava em guerra era eu

Saqueando o inferno com o meu louvor a Deus

Enquanto eu adorava, o inimigo, covardemente

Acertou um dos meus


Mas eu não me dei por vencido

Não pensei em pedir trégua nem paz

Não baixei a minha guarda, estava decidido

Levantar bandeira branca, jamais


Não me rendo, não me entrego

Não me quebro, não desisto

Continuo a serviço do Rei

Não é chorando pelos cantos

Mas é de cabeça erguida

Que aguardo a providência de Deus


Ai daquele que tocar nos bens de um ungido

Melhor seria ele não ter nascido

Agora quem vai fundo nessa guerra fria

Pra acabar de vez com essa covardia é Deus

É Deus

É Deus


MINHA MÚSICA PARA VOCÊ DIABO!


Nenhum comentário:

Postar um comentário