Google+ Followers

sábado, 18 de abril de 2015

“A INFÂNCIA DE JESUS”


ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL


ADMEP – ASSEMBLEIA DE DEUS – MINISTÉRIO  ESTUDANDO A PALAVRA


EBD - Escola Bíblica Dominical

Departamento de Educação Cristã


Tema


A INFÂNCIA DE JESUS


TEXTO ÁUREO


“E crescia Jesus em sabedoria, e em estatura, e em graça para com Deus e os Homens. ”

(Lc 2. 52)


VERDADE PRÁTICA

Crescer de forma integral e uniforme, como Jesus cresceu, deve ser o alvo de todo cristão.



LEITURA BÍBLICA EM CLASSE:

Lucas 2. 46 – 49; 3. 21, 22




OBJETIVOS GERAL:


A presentar a infância de Jesus Cristo segundo o Evangelho de Lucas.

I.          Mostrar que Jesus cresceu fisicamente.
II.        Conhecer como se deu o crescimento social de Jesus.
III.     Saber como se deu o desenvolvimento cognitivo de Jesus.
IV.     Aprender como se deu o desenvolvimento espiritual de Jesus.

§    INTERAGINDO COM O PROFESSOR

Não temos muitas informações a respeito da infância de Jesus. Os Evangelhos são nossas únicas fontes confiáveis dessa fase da vida do Mestre. O Evangelho de Lucas nos mostra que como Homem Perfeito, Ele experimentou um desenvolvimento saudável, como de qualquer criança de sua idade. A única diferença entre Jesus e os meninos de sua época era o fato de que Ele não tinha pecado.

Lucas também registra um incidente da infância do menino Jesus. Por meio desse incidente, podemos ver que, aos doze anos, Jesus já tinha plena consciência de sua relação com o Pai e acerca de sua chamada.

Introdução: -  A Bíblia diz pouca coisa a respeito da infância de Jesus: em primeiro lugar, uns poucos meses como bebê em Belém, em seguida, um ou dois anos no Egito, e depois o regresso a Nazaré. O único evento mencionado em todo o período entre o regresso a Nazaré e o início do seu Ministério Público quase 30 anos depois é o incidente no templo quando Jesus tinha 12 anos, que indica que ele era um menino notavelmente inteligente, alguém chega a dizer: Precoce.


Lucas é o único evangelista a registrar alguns dos acontecimentos da infância de Jesus. Ele o faz para acentuar a sua natureza humana – a fim de apresentá-lo como a “descendência da mulher” (Gn 3. 15). Ele deseja mostrar que Jesus embora sendo Filho de Deus, cresceu de maneira natural (Lc 2. 40, 52).  Registra a visita de Jesus, aos 12 anos a Jerusalém para demonstrar que Jesus, desde pequeno, teve conhecimento de sua missão divina (Lc 2. 49).


Lucas 2. 40: - “E o menino crescia.  Com este comentário, a história da infância de Jesus termina.  – A narrativa recomeça 12 anos depois, no versículo 41. Esses dois versículos revelam o crescimento da natureza humana de Jesus, enquanto, em Sua natureza divina, Ele era imutável e infinito. Os cristãos devem pesar estas duas naturezas quando falam do Senhor Jesus.

Conhecer o Jesus divino é maravilhoso e bíblico, mas conhecer o Jesus humano o é da mesma forma maravilhoso.  Aqui, vamos aprender que Jesus cresceu como qualquer ser humano. Ele cresceu física, social, psicológica e espiritualmente. Em cada uma dessas dimensões, Ele deixou ricos aprendizados para todos nós.



§    A INFÂNCIA DE JESUS:


I.              JESUS CRESCEU FISICAMENTE:


A.     - A dimensão corpórea de Jesus. – (Lucas 2. 40 – 52). O Crescimento normal do menino Jesus é apresentado assim: FISICAMENTE, ele crescia e se fortalecia em espírito. (RC).   Ele passou pelas mesmas fases de desenvolvimento físico, aprendendo a andar, falar, brincar e trabalhar. Por causa disso ele pode identificar-se conosco em cada fase do nosso crescimento. -  Jesus estava sujeito às leis comuns do desenvolvimento humano e do crescimento gradativo em sabedoria e estatura, Lc 2.  40, 46, 52.

Depois do seu nascimento, a primeira aparição de Jesus é o dia da sua Circuncisão e sua Dedicação (Lucas 2. 21 – 24).


1.2.    A Circuncisão e Dedicação de Jesus:


Primeiro, houve a Circuncisão de Jesus. Isso aconteceu completados 8 dias de nascido. Era sinal da aliança que Deus fez com Abraão. As famílias judias observavam várias cerimônias logo após o nascimento de um bebê. Entre as mais importantes estão: (1) – A Circuncisão. Todo menino era circuncidado e recebia um nome no 8º dia após o nascimento (Lv 12. 3; Lc 1. 59, 60). (2) – A redenção do primogênito.  O filho primogênito era apresentado a Deus um mês após o nascimento (Ê 13. 2, 11 – 16; Nm 18. 15, 16).  A cerimonia incluía o resgate da criança para Deus por meio de uma oferta. (3) – A purificação da Mãe.


Nesse mesmo dia, o menino recebeu seu nome, conforme o costume judaico. O anjo anteriormente instruíra Maria e José para chamá-lo de JESUS, (Mt 1. 21). JESUS (que significa “Jeová é Salvação ou “Jeová, o Salvador”).  Essa criança era o próprio Jeová, visitando a terra a fim de salvar o povo da penalidade do pecado, do poder do pecado e, por fim, da própria presença do pecado.


Depois vinha a Apresentação, ou Dedicação, isto acontecia 32 dias depois.


§    SÍNTESE DO TÓPICO I – Jesus teve um crescimento físico normal, igual às crianças de sua idade.


II.            JESUS CRESCIA PISCOLOGICAMENTE


Lucas 2. 52: - Informa que Jesus crescia em “sabedoria”. Crescer em sabedoria é crescer em conhecimento. É desenvolver-se intelectual e mentalmente. É o desenvolver da psique humana.


1)           A dimensão Mental. – Mentalmente, ele encheu-se de sabedoria. Jesus não apenas aprendeu o ABC, os números e todo o conhecimento geral daqueles dias, mas cresceu em sabedoria, isto é, na aplicação prática desse conhecimento aos problemas da vida. Não há indício de ele agir como criança precoce, disputando com seus superiores.  Antes, ele assumiu a condição de uma criança normal, aprendendo dos seus professores, em humildade e silêncio.  


(v. 48). Até os pais ficaram maravilhados quando viram Jesus participar de modo tão inteligente de uma discussão com os que eram bem mais velhos que ele. – Mas sua mãe expressou sua ansiedade e irritação acumulada ao reprová-lo. Será que ele não sabia que eles estavam preocupados?


2)   Jesus e as Emoções: - A Bíblia não mostra em nenhum lugar as emoções de Jesus enquanto criança, adolescente e jovem. Só aparece suas emoções quando adulto. Mas como Ele era o “Homem perfeito”, possuía emoções. Ele não sofria de nenhum distúrbio mental, nem tampouco era desajustado emocionalmente. Vamos ver isto, quando Ele chega a idade adulta. (Jo 8. 1 – 11; Lc 20. 19 – 26; Jo 14. 27; Lc 7. 50).



§    SÍNTESE DO TÓPICO II O menino Jesus teve um desenvolvimento cognitivo saudável, compatível com cada fase da vida.


III.         JESUS CRESCIA JESUS CRESCEU SOCIALMENTE


1)           Jesus e a Família – Os Pais e irmãos de Jesus. “Não sabemos muito ou quase nada sobre a família de Jesus; entretanto, fica claro, conforme o relato dos Evangelhos, que os pais, irmãos e irmãs de Jesus eram muito conhecidos na cidade de Nazaré (Mt 13. 54 – 56). Os primeiros anos da vida de Jesus foram tão normais que as pessoas que viram crescer ficaram surpresas com o fato de que Ele pudesse ensinar com autoridade sobre Deus e fazer grandes milagres – achavam que era apenas um carpinteiro como José”. Leia mais em Guia Cristão de Leitura da Bíblia, CPAD, p. 28.).


Como gostaríamos de ter um relance da sua vida no lar – como o Filho de Deus, enquanto um menino em crescimento, se comportava diante das irritações do dia-a-dia que seria, normais em semelhante situação.


Entretanto, a própria singeleza e moderação dos evangelhos ao falarem da infância e juventude de Jesus outorgam credibilidade às demais coisas que prenunciasse o seu futuro como Salvador do mundo. As pessoas de Nazaré o rejeitaram porque viam nele um menino que crescera entre elas e com elas (Lc 4. 16 – 30).



§    SÍNTESE DO TÓPICO IIIJesus, enquanto criança, teve um desenvolvimento social saudável.


IV.        JESUS CRESCEU ESPIRITUALMENTE


Lucas 2. 40, 52.  Crescendo na graça e fortalecendo o espírito.

Graça é saber que Deus está em nosso crescimento enquanto vivemos em comunidade, enquanto o adoramos, meditamos, contemplamos e, também, quando vivemos a vida, mesmo quando ela se mostra dura em sua rotina,


1)           A dimensão Espiritual:  - Espiritualmente, a graça de Deus estava sobre Ele.  Jesus andava em comunhão com Deus e na dependência do Espírito Santo. Ele estudava a Bíblia, passava tempo em oração e se alegrava em fazer a vontade do Pai.


§    Lucas 2. 47: - O conhecimento que Jesus tinha do AT. – Naquele tempo, o AT constituía a Palavra de Deus escrita. Jesus o amava. Sua familiaridade com ele, (AT) já aos 12 anos de idade, deixou atônitos os grandes teólogos do Templo. Ele vivia pela Palavra de Deus. Posteriormente, empregou-a para resistir ao tentador (Mt 4.4,7, 10). Foi até a cruz a fim de cumprir o AT (Mt 26 .54). Na sua agonia mortal, citou-o ainda (Mt 27. 46).


Aos escritos do AT foi acrescentado outro grupo de escritos, o NT, que gira em torno da vida do próprio Jesus. Se a parte da nossa Bíblia que Jesus já possuía era tão preciosa para Ele, é de se imaginar que o que nós possuímos – os Dois Testamentos – deve ser mil vezes mais precioso para nós.

§    Lucas 2. 48. – A resposta do Senhor, (e essas são suas primeiras palavras registradas), mostram que ele estava bem cônscio da sua identidade como Filho de Deus e da sua missão divina. “Por que me procuráveis? Não sabíeis que me cumpria estar na casa de meu Pai? ” Sua Mãe diz: teu pai e eu. Ele disse: me cumpria estar na casa de meu Pai.


§    Lucas 2.  50:  - No momento, eles não entendiam o que Jesus queria dizer com aquela observação enigmática. Algo estranho para um menino de doze anos!

§    Lucas 2. 51: - De qualquer modo, estavam reunidos; então poderiam voltar a Nazaré. A excelência moral de Jesus é vista nas palavrasera-lhes submisso”.  Apesar de ser o Criador do universo, ele assumiu a condição de criança ou já um adolescente obediente nessa humilde família judaica. Todo o tempo, porém, sua mãe guardava todas estas coisas no coração.

§    Lucas 2. 52: -  Mais uma vez temos a verdadeira humanidade e o crescimento normal do nosso Senhor descritos:

1)           Crescimento mental: Crescia Jesus em sabedoria.
2)           Crescimento físico: estatura.
3)           Crescimento espiritual: e graça, diante de Deus.
4)           Crescimento social: e dos homens.


Lucas 2.  51, 52: - Os 18 anos de Silêncio. -  Como gostaríamos de saber alguma coisa a respeito da vida de Jesus entre os 12 e os 30 anos de idade!  - Deus, porém, na sua sabedoria, cobriu-a com um véu.


§    SÍNTESE DO TÓPICO IVEnquanto criança, jesus também teve um desenvolvimento espiritual saudável.


Conclusão: - Ele era absolutamente perfeito em todo aspecto do seu crescimento. Aqui a narrativa de Lucas passa silenciosamente por cima dos 18 anos que o Senhor Jesus passou em Nazaré como filho de um carpinteiro. Esses anos nos ensinam a importância de preparação e treinamento, a necessidade de paciência e o valor do trabalho diário. Eles advertem contra a tentação de pular do nascimento espiritual ao ministério público. Espiritualmente falando, os que não têm infância e adolescência normal atraem desastre na sua vida e no seu testemunho posteriores.

Crescimento sem conhecimento é uma deformação, assim como o é, também, o crescimento sem a graça.



Lição preparada pela Professora,
Pastora, Maria Valda.


ADMEP:

Assembleia de Deus Ministério Estudando a Palavra


Nenhum comentário:

Postar um comentário