Google+ Followers

quarta-feira, 4 de março de 2015

DOIS INTEIROS OU DUAS METADES?




Assembléia de Deus Ministério Estudando a Palavra
Departamento de Educação Cristã
Pastora: Maria Valda
Comentarista: Pastor, Josué Gonçalves
Editora Gospel.





Lição  11                                                                                                                15 de Março de 2015

Tema:

DOIS INTEIROS OU DUAS METADES?


Texto Bíblico Básico:
Cânticos 5:1-3; 5-10


Texto Áureo:

“O meu amado meteu a sua mão pela fresta da porta,
e o meu coração estremeceu por amor dele”.
Cânticos 5:4




Introdução: -  O Amor romântico é um dos modelos de amor em que assenta o casamento monogâmico e relações familiares estáveis em culturas modernas, principalmente ocidentais. O romantismo como forma de demonstração de amor surgiu através de um movimento artístico, político e filosófico nas últimas décadas do século XVIII na Europa que perdurou por grande parte do século XIX. Caracterizou-se como uma visão de mundo contrária ao racionalismo e ao iluminismo e buscou um nacionalismo que viria a consolidar os estados nacionais na Europa. O termo romântico refere-se ao movimento estético, ou seja, à tendência idealista ou poética de alguém que carece de sentido objetivo. Nesta lição, discorremos sobre o amor romântico, o amor verdadeiro e as suas influências na sexualidade e nos casamentos no decorrer das últimas décadas.

I.       O SEXO, O AMOR E O CASAMENTO: HISTÓRIA E FUTURO

1.1. O Amor Romântico

Ser romântico está pautado em valores e atitudes que vão muito além de mandar flores, dizer que ama, fazer surpresas ou simplesmente ser carinhoso. O romantismo também se dá no momento em que o homem presta atenção em quem ama, tenta ler seus olhares, entender seus gestos, tenta saber a hora de falar, mostrar-se solicito, fazendo o seu amor entender que você está ali, e que pode contar contigo.


Como Ser Romântico?

Flores - Receber flores é uma gentileza e também um símbolo, flores trazem cores e alegrias ao coração. As rosas vermelhas são o símbolo do amor. "Quem tenta possuir uma flor verá a sua beleza murchando. Mas quem olhar uma flor como símbolo do amor, permanecerá para todo o sempre com ela" - Pedro Lage

Gentileza - Abrir porta do carro, Puxar a cadeira para que possamos sentar, Ceder lugar no ônibus para uma mulher, Quando esbarrar em alguém pedir desculpas, Carregar as sacolas pesadas, Abrir uma porta e nos deixar passar primeiro? Segurar a mão quando descem um degrau com salto. Como disse o sábio “gentileza gera gentileza”.

Fazer surpresas - Surpreenda com flores, com bombons, com uma declaração, com um jantar, com uma poesia, com um passeio sem destino declarado, um piquenique no parque sem sabermos, enviar uma cesta de café da manhã

Declarações - Quem não gosta de ter os sentimentos declarados? Declarar é romântico! Declare-se verbalmente, em um cartãozinho, em um recadinho, em um “post-it”, mandar um e-mail apaixonado, um sms no celular, com um papelzinho dentro da nossa bolsa.

Pagar a Conta - Não é porque a mulher é moderna e continua no seu projeto de emancipação social e financeira que elas não gostam de atitudes cordiais, galanteadoras e gentis! Pagar a conta sempre é coisa de homem sábio, é um ato de ser provedor.

Receber Elogios - Muitos homens depois de vários anos de relacionamento se esquecem que a mulherada adora ser reparada e receber elogios! Você acordou linda hoje! Repare sempre que ela cortar ou pintar o cabelo, pintar as unhas, trocar o perfume, comprar brincos ou roupas novas.

Cuidar e Proteger - Cuidar é saber lidar com as necessidades físicas, psicológicas e sociais de uma mulher. Proteger é saber defender no momento certo e demonstrar confiança em suas atitudes e decisões.

Valorizar – mulheres amam serem valorizadas pelo trabalho, pelos projetos, pela inteligência e pelas atitudes.

Dividir as Tarefas - Na hora de planejar uma viagem, um passeio, um casamento, as tarefas de casa… Na verdade, quando o homem participa dessas pequenas coisas está em sintonia com elas.

Ser Amigo e Saber Ouvir – Mulher adora desabafar e falar. Fato. Falar de alegrias, tristezas, problemas, dificuldades. Nada melhor que fazer isso com nosso maior ombro amigo – nosso companheiro. Para isso é preciso haver confiança, honestidade, respeito e carinhos mútuos!

Paciência – Ser paciente é ser romântico, pois o homem impaciente não demonstra carinho e atenção necessária a lidar com as flutuações emocionais de uma mulher.

Sem Interesse - Não tente fazer algo esperando alguma coisa em retorno. Não tente ser romântico apenas para conseguir uma noite de sexo ou que ela faça algo para você. Faça simplesmente porque você gosta dela. Se essa mulher te faz feliz, por que não fazê-la feliz também? Também jamais jogue na cara o que você fez por ela ou o dinheiro que gastou com ela.

Ser Romântico não é ser Machão! Brigão? Ciumento? Grosseirão do tipo: “- Essa mulher é minha!”? Atualize-se! Ninguém é dono de ninguém. Gostar de homens românticos não é ser submissa. Amar não é ser “pau mandado” de ninguém!


1.2.  Amor Romântico X Amor Genuíno

O problema é que sempre confundimos a idéia de amor com apego. O apego e o agarramento que temos em nossas relações demonstram que amamos, quando na verdade, é só apego que nos causa dor. Porque quanto mais nos agarramos, mais temos medo de perder. E então se nós, de fato, perdermos, vamos sofrer.


Apego diz: "Eu te amo, por isso quero que você me faça feliz"
Amor genuíno diz: "Eu te amo, por isso quero que você seja feliz"

O apego é como segurar com bastante força. Mas o amor genuíno é como segurar com muita gentileza, nutrindo, mas deixando que as coisas fluam. Não é ficar preso com força, porque quanto mais agarramos o outro com força, mais nós sofremos. Porém é muito difícil para as pessoas entenderem isso, porque elas pensam que quanto mais elas se agarram a alguém, mais isso demonstra que elas se importam com o outro.

Qualquer tipo de relacionamento no qual imaginamos que poderemos ser preenchidos pelo outro será certamente complicado, as pessoas deveriam se unir já se sentindo preenchidas por sí mesmas e ficarem juntas apenas para apreciar isso no outro, em vez de esperar que o outro supra essa sensação de bem estar que elas não têm sozinhas.

Ao reconhecer que a outra pessoa não é um príncipe encantado ou cinderela, devemos ter bondade amorosa e compaixão, ou será um relacionamento difícil.

(Jetsunma Tenzin Palmo)


1.3. Amor X Paixão

A paixão (do latim tardio passio -onis, derivado de passus, particípio passado de patī “sofrer”) é um termo aplicado a um sentimento muito forte em relação a uma pessoa, objeto ou tema. A paixão é uma emoção intensa convincente, um entusiasmo ou um desejo sobre qualquer coisa.

A paixão, em Platão, seria o desejo voltado exclusivamente para o mundo das sombras, abandonando-se a busca da realidade essencial. Em contraposição ao conceito de paixão na filosofia de Platão está o conceito de amor. O amor, ou seja, o amante busca no amado a Idéia - verdade essencial - que não possui. Nisto supre a falta e se torna pleno, de modo dialético, recíproco. O amor também não condena o sexo, ou as coisas da vida material.

O tema ressurge mas agora em Santo Agostinho. Que diz que é preciso ser capaz de decifrar a diferença entre amor e luxúria. Luxúria, de acordo com Santo Agostinho, é um grande vício e pecado, mas amar e ser amado é o que este santo tem procurado por toda a sua vida. Ele mesmo diz: "eu estava no amor com amor." Finalmente, ele faz cair no amor e é amada de volta, por Deus. Santo Agostinho diz que a única pessoa que pode te amar verdadeiramente e plenamente é Deus, porque o amor dos homens tem muitas falhas, tais como "ciúme, desconfiança, medo, raiva e discórdia." De acordo com este santo, Deus é amor "para alcançar a paz, que é a sua."

A paixão se caracteriza do ponto de vista biológico, por uma liberação contínua de alguns neurotransmissores como dopamina e noradrenalina. A amígdala cerebelosa tem um papel central neste processo, pois é desta região que emana alguns dos sentimentos mais instintivos. Esta tempestade bioquímica está relacionada com um índice mais baixo de serotonina do que em uma população normal, sendo semelhante ao nível deste neurotransmissor nos portadores de transtorno obsessivo-compulsivo (TOC), o que explicaria os pensamentos obsessivos da pessoa a qual se está apaixonado. Estes níveis bioquímicos explicam por que a pessoa tende a perder a razão, enquanto em estado de apaixonamento. Este mecanismo é semelhante ao de algumas drogas, como a cocaína, sendo necessário para a perpetuação da espécie, pela atração. Além destes neurotransmissores citados, há a participação de outras substâncias, tais como oxitocina e vasopressina, que estão relacionadas com o amor e as sensações de segurança e calma derivadas deste sentimento.


II.          A PALAVRA DA VERDADE E O AMOR
       
2.1. Proposta de Cantares

Os 8 capítulos de cantares devem ser lidos como um idílio lírico, que retrata o romance entre o rei mais rico que governou Israel (Salomão) e sua noiva Galiléia (Sulamita).

Idílio lírico - Idílio é na literatura um sonho, uma fantasia. O poema lírico é elaborado com uma linguagem emotiva subjetiva em que predominam as palavras em 1ª pessoa. Este tipo de poema o emissor expressa uma homenagem à natureza, as belezas e riquezas, sendo assim bucólico, ou seja, expressa o desejo de desfrutar de tais belezas ao lado da amada. Em cantares observamos figuras de linguagem tais como metáfora, comparação, metonímia, sinédoque, sinestesia, antítese, etc...

2.2. Proposta Histórica de Cantares

Historicamente, foi o instrumento da ruptura com a dominação dos sacerdotes hebreus, que regiam o espírito religioso do povo, mediante um severo controle externo, montado na lei mosaica e calcado no culto vinculado ao Templo.

2.3. Proposta Paulina

O apóstolo Paulo descreve o amor em 1 Coríntios cap.13, e este amor ele vence as dificuldades e diferenças encontradas no caminho. O amor jamais acaba e dura para todo o sempre. Atualmente muitos relacionamentos se rompem pela falta do amor e amizade verdadeira, devemos cultivar o amor sem interesse e a amizade pura em todos os níveis de relacionamento para vivermos o amor divino todos os dias de nossas vidas.

O amor é paciente não impaciente;
É bondoso não rancoroso;
É gentil não arrogante;
É conveniente não inconveniente;
É compartilhador não egoísta;
É perdoador não se ressente;
É verdadeiro não mentiroso;
É sofredor, vence tribulações;
É cheio de fé não incrédulo;
É pronto a esperar não apressado;
É resiliente pronto a suportar;
O amor jamais acaba, se acabou não era amor ágaphe incondicional, eterno, forte e duradouro.


CONCLUSÃO: - É preciso compreender que ninguém suprirá todas as nossas vontades e expectativas a todo momento, se esperamos a metade de nossa laranja nunca a encontraremos, pois cada pessoa precisa ser completa e estar preparada para enfrentar todos os desafios e tentações que surgem ao iniciar um relacionamento.

É possível ser romântico e desenvolver um relacionamento sem imoralidade sexual, romantismo está no tom de voz, nos pequenos gestos, nas atitudes, no auto controle da raiva.



                                                   Aula Elaborada pelo Professor,
                                                         Pedro Lage Resende





Seja um Aluno da E.B.D.

             ADMEP




Nenhum comentário:

Postar um comentário